Tudo é linguagem. Tudo é construído pela linguagem. Até mesmo uma pátria. O Brasil não fugiu a isso. Pelos olhos estrangeiros, pelos olhos nativos, inventamos um país e, principalmente, um povo. Debret e Rugendas, para citar apenas dois, pintaram as nossas máscaras no Auditório Norbertino Bahiense, no Pentágono, e nós ꟷ professores da  Casa ꟷ demos outras finalidades à nossa história e aos nossos valores. “Viva o povo brasileiro! ”